As Promessas e o Homem das Promessas

(Todas as informações aqui reveladas são de processos judiciais – que podem ser conferidos na Internet)

João Alfredo é o candidato da oposição para comandar a administração do Atlético. Concorre para substituir Mario Celso Petraglia. Gaede, é bom lembrar, apenas presidirá o Conselho, substituindo Tataio Bettega. Na condição de candidato à sucessão de Petraglia, João Alfredo promete muito. Como está no site da chapa de oposição, prega-se a transparência, com uma “gestão profissional”, com ênfase no “saneamento financeiro”.

Na boa frase do filósofo, antes de ler a proposta confira a vida de quem promete. E é mesmo importante dar uma conferida na vida de João Alfredo. É quem pessoalmente comandará as finanças e a administração do nosso Clube pelos próximos quatro anos.

Pois bem. Durante sua longa vida empresarial João Alfredo nunca cumpriu a promessa de transparência e de saneamento financeiro. Pelo contrário: é um devedor inveterado. E o pior: dá calote em pessoas humildes, trabalhadores que não receberam seus salários. Deve para o INSS, para a CEF, para a União. Para muitos outros credores.

Em abril de 2014, o STJ confirmou uma decisão que reconhece que João Alfredo e sócios esvaziaram fraudulentamente o patrimônio para frustrar execuções. Como está na decisão, “intuito de fraude evidenciado1. Abra a decisão no link e constate você mesmo o que ele fez para não pagar uma dívida, com uso de laranjas e ocultação do patrimônio. Será que este homem pode comandar as finanças do Atlético? Aqui no Tribunal de Justiça, em fevereiro de 2014, concluiu-se que “o patrimônio foi dolosamente disperso pelas demais empresas do grupo, com o propósito de fraudar credores2. É só abrir o link para conferir.

João Alfredo também é réu em dezenas de execuções fiscais (INSS, CEF, União)3. Nestes casos as execuções são sempre frustradas porque João Alfredo não tem nenhum centavo em suas contas bancárias ou qualquer outro bem móvel ou imóvel. Basta ver na movimentação processual que os processos estão suspensos (art. 40 da Lei de execuções fiscais) porque nenhum bem é encontrado em nome de João Alfredo4.

Existem muitas ações trabalhistas também frustradas pela fraude que João Alfredo promoveu para esvaziar o patrimônio (STJ e TJ usaram a expressão fraude). Pesquisem no Google (“João Alfredo Costa Filho” + “TRT9”). Qualquer pessoa pode conferir o número expressivo de trabalhistas. Nas ações trabalhistas o mais constrangedor é que João Alfredo corre dos oficiais de Justiça.

Em agosto de 2014 o Juiz Eduardo Baracat declarou que João Alfredo estava em lugar incerto e não sabido e mandou citá-lo por edital para pagar uma dívida trabalhista de quinze mil reais. Fugindo para não pagar uma pequena dívida trabalhista. Confira no link5. A Juíza Lisete Valsecchi Fávaro, da 3ª Vara do Trabalho, também só consegue citar João Alfredo por edital6. Noutro caso se reconheceu que ele deu um endereço falso do contador para fugir do oficial de justiça7. Há muito mais. Pesquisem.

É a este homem que vamos entregar os destinos do patrimônio e das finanças do Atlético? Como vai ficar a imagem do nosso Clube? Mesmo que fosse verdade a necessidade de saneamento, ele tem condições de cumprir as promessas de sanear o clube com transparência, como está prometendo? Vai nos representar ao mesmo tempo em que foge de oficiais de justiça? O Atlético é muito grande para ser entregue a João Alfredo. Pensem nisso.

  1. http://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/181627075/agravo-em-recurso-especial-aresp-663183-pr-2015-0034183-2/decisao-monocratica-181627087
  2. http://tj-pr.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/24981459/acao-civil-de-improbidade-administrativa-11568526-pr-1156852-6-acordao-tjpr/inteiro-teor-24981460
  3. http://www2.trf4.jus.br/trf4/controlador.php?acao=consulta_processual_resultado_pesquisa&codigoparte=701400772469987870040000000004&sistema=E-PROC2&selOrigem=PR&chkMostrarBaixados=&txtDataFase=01/01/1970&hdnRefId=dce9eefeaa550be615e90fa2d899f9e6&txtPalavraGerada=oNrM
  4. http://www2.trf4.gov.br/trf4/processos/visualizar_documento_gedpro.php?local=jfpr&documento=4547319&DocComposto=&Sequencia=&hash=2c102c6d955480d0a387887cf48b246b
  5. http://www.jusbrasil.com.br/diarios/73890909/trt-9-judiciario-01-08-2014-pg-426. Clique no link e vá para o final da página do site.
  6. Processo nº: TRT-PR-RTOrd  13102-2005 – (20 DIAS)   No. Único: 13102-2005-3-9-0-8, Publicacão do D. J. em: 23/08/2012.
  7. TRT9, 27199-2010-009-09-00-1 (RTSum 27199/2010 – Ajuizada em 21/09/2010).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *